Vamos falar de apropriação cultural

Tal como o nome indica, a apropriação cultural é usar e abusar de simbolos de outras culturas, por vezes de maneiras muito ofensivas. 
Na realidade, há uma grande discussão na internet (principalmente no Tumblr) do que é ou não apropriação cultural, mas há alturas em que todos estão de acordo.

Exemplo 1 - Coroa de Penas



Símbolo importante da cultura indo-americana, as coroas de penas são especialmente usadas por mulheres brancas de uma maneira sexy ou como acessório de festival. O que há de errado nisto? Tanta mas tanta coisa. Vamos começar pelo facto de que estas coroas são só usadas por homens mais velhos e experientes e que cada pena tem de ser merecida. Não é qualquer índio que o pode usar e é uma honra usá-lo. Tem uma grande simbologia....mas se está na moda e metade das celebridades já as usaram...who cares, né?

Também deve ser ofensivo quando um povo que matou e roubou todas as terras de uma cultura, põe-se a usar os seus adereços e símbolos só porque sim. Os americanos branquelas deviam ter vergonha na cara de sequer olhar para uma coroa de penas. No entanto é Lana del Rey, é Gwen Stefani, é todas as modelos, a usar tal coisa. 

E não esquecer que estatísticas mostram que as mulheres indo-americanas são as que mais sofrem violações e abusos nos USA comparativamente com as outras "raças". Sendo assim sexualizar a cultura índia faz mais mal do que bem. 

Pensem duas vezes antes de irem para o Optimus Alive com uma coroa de penas, está bem? 

Exemplo 2 - No Carnaval ninguém leva a mal

Desde pequena que vejo isto a acontecer e ninguém parece reparar. Agora mais velha é que vejo quão ofensivo mascarar do cliché das outras culturas pode ser ofensivo. 

Há uns anos, numa terriola perto de Lagos, fui ver as celebrações de Carnaval e o desfile de carros alegóricos. Um dos carros tinha como tema África e então estavam uma meia dúzia de gajos brancos, pintados de castanho, com roupas tribais, a imitar danças africanas. 

O que está errado nisto? Uma cultura e raça não são mascarinhas, gente! E não falo só da africana, como também vestir de chinês, índio, muçulmano! As minorias (dos países brancos) são sempre usadas como disfarce e isso está mal. Nao só generalizam toda uma cultura, como propagam clichés (todo o chinês diz "o lato loeu a galafa" ou os índios dançam em roda, etc etc) e é extremamente ofensivo para a cultura em questão. 

Se não conseguem ver qual o problema disto imaginem que estão longe de casa, na América por exemplo. E no Halloween aparecem à frente um bando de gajas mascaradas de gordas e com bigodes, e elas dizem-vos que estão mascaradas de Portuguesas. Suponho que vocês fiquem tipo "Ah...mas...mas...nós não somos assim..." certo? É mais ou menos isso. 

Exemplo 3 - Coisas que ainda não estão bem definidas. 


O uso de bindis também é muito discutido pela net. Uns dizem que é ofensivo, outros dizem que não. Algumas pessoas da Índia dizem que não se importam, outras dizem que se importam. Eu também não sei. Para mim acho que apropriação cultural só se torna verdadeiramente ofensivo quando o objecto tem uma simbologia importante. Há bindis e bindis. Não vejo porque seria ofensivo usar estas bindis cheias de brilhantes que mesmo na cultura indiana só servem como adereço. Se usassem a bindi vermelha no meio da testa, já era outra história, pois ela só é usada por mulheres casadas (ou tem a ver com as castas, não sei bem). 
A henna também pode ser considerado apropriação....no entanto em Marrocos, por exemplo, há sempre pessoas a venderem pinturas de henna pelas ruas. Sei que há certos símbolos nos desenhos que têm grandes significados, e esses não podem ser usados pelos turistas. 

Há grandes falhas neste tema. Há uns quantos fanáticos que dizem que os brancos não podem usar rastas, mas no entanto o povo celta também usava rastas, portanto também faz parte da nossa cultura. Além disso...será um penteado assim tão ofensivo? E penso eu...e os kilts? Espalhados por todo o mundo, não será também ofensivo usá-los? Ninguém parece se importar com isso. 


Acho que na verdade tudo se resume a ter respeito pela história e cultura de um povo e assim definir regras do que se pode ou não usar. Que acham disto tudo? Concordam? Discordam? Conhecem mais exemplos? 

4 comments:

  1. Usei muito kilts, e com muito muito respeito, sou uma escocesa descendente de vikings em corpo de portuguesa. Tb usei um martelo de Thor a dada altura. N tenho antecessores nórdicos, logo n podia usar? Discordo. Os vikings tb tinham rastas - bolas, qq pessoa que passe x tempo sem lavar o cabelo e o deixe a emaranhar em tranças e nós acaba por ficar com uma nodjenta de uma rasta. Quanto ao cocar - ou coroa de penas, como preferires - eu cá acho um simbolo altamente sensual e sexual, num homem... mas isso são gostos. A mim tb me ofende MESMO MUITO cada vez que vejo alguém a usar um pentagrama invertido, só pq ai é tão giro e tão rocker e o carai e nem sequer sabe o que significa aquilo e o que professa quem o usa - nem sabe que está a dar a entender que segue uma certa filosofia de vida, e uma religião... acho que há por aí muito caso em que realmente poderá ser ofensivo o apropriar-se de certos simbolismos que são tipicos de uma certa cultura, mas vou discordar na cena do halloween e do bando mascarado de matrafona portuguesa comparativamente com o alguém se vestir de chinês ou de chinesa, ou de gheisha, sem pertencer a essas culturas. Eu casei usando uma cabaia chinesa vermelha - sem toucado, claro, mas gostaria de ter usado um - tal qual uma chinesa o faria num casamento tradicional. E apesar de a minha familia ter ligações a Macau, não somos chineses. Foi desrespeitoso da minha parte, o ir ao civil casar com uma cabai chinesa no corpo? Eu não acho. Respeito muito a cultura e as tradições chinesas, e interesso-me bastante por elas. Acho que o usar trajes tipicos de um povo, de uma cultura não é sinal de desrespeito, pelo contrário, pode até ser sinal de muito respeito, de admiração. E por vezes essa admiração pode resumir-se apenas ao aspecto estético, como no caso de um cocar. Não usaria um - sei que são super pesados e dificeis de equilibrar na cabeça, quando são feitos como deve de ser - mas não deixo de achar que é algo bonito de se ver, estéticamente. E isso eu respeito.
    http://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  2. Não podia estar mais de acordo contigo. Infelizmente, grande parte das pessoas que se deixam levar pela maré das modas nem sempre têm noção dos limites que podem estar a ultrapassar e como exemplo disso, temos a dita coroa de penas. Quantas pessoas é que realmente sabem o seu significado? Decerto uma pequena minoria. Respeito o que cada um pretende usar mas ao menos que o façam sabiamente.

    Beijinhos*
    http://aokigahara-jukai.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  3. E casinha no subúrbio, com shopping perto, carro e boas estradas? É apropriação cultural? É que o mundo inteiro imita os americanos...

    ReplyDelete
  4. Bindi não serve só como adereço e pode ser utilizado por qualquer mulher na Índia. A questão, neste caso, se resume a saber ao menos o porquê de se utilizar um Bindi... tem a ver com as crenças, com a energia do chackra Ajna (o terceiro olho). O Bindi ajuda a manter a energia concentrada neste chackra e protege contra energias más... Se a pessoa ao menos conhece a cultura indiana (não apenas na Índia se usa Bindi), respeita e acredita que isso vai auxiliá-la não há mal algum... isto é diferente de apropriação cultural. Não há ofensa envolvida aqui... bem diferente de usar cocar indígena...

    ReplyDelete

Translate

ShareThis