Recentes Leituras

Este ano ando potente nas leituras. Três meses, três livros. Já não tinha este ritmo de ler há já algum tempo. Eis o que achei do que li:


1.Os Três de Sarah Lotz 


Sinopse: 

O dia que nunca será esquecido. O dia em que há quatro acidentes de avião, em simultâneo, em diferentes pontos do globo. E três crianças sobreviveram.
O mundo vive atordoado com a trágica coincidência. À beira do pânico global, as autoridades são pressionadas a encontrar as causas que motivaram os acidentes. Com terrorismo e desastres ambientais fora da equação, não parece haver uma correlação lógica, tirando o facto de ter havido uma criança sobrevivente em três dos quatro acidentes.
Intituladas Os Três pela imprensa internacional, as crianças exibem distúrbios de comportamento, presumivelmente causados pelo horror que viveram e pela pressão da comunicação social. Esta pressão torna-se ainda mais intrusiva quando um culto religioso liderado por um ministro fanático insiste que as crianças são três dos quatro profetas do Apocalipse. E se, para mal de toda a Humanidade, ele tiver razão?
Juro que só vi críticas positivas a este livro. Aliás, prometia muita coisa, por isso o comprei. Mas deixem-me que vos diga que detestei e não recomendo. Nem detestei pela história, foi por mais questões técnicas, tipo como está escrito.

O livro está escrito como se fosse um livro de relatos sobre o que aconteceu às crianças (e isto nem é spoiler, mesmo que fosse, vocês não vão ler esta merda please) mas a autora, quer seja um "artigo de jornal" quer seja uma transcrição de uma entrevista, quer seja um excerto de um chat, ESCREVE SEMPRE DA MESMA MANEIRA. Tipo não interessa se o relato é de um red neck ou de um japonês inteligentíssimo, parece que estamos sempre a ler do ponto de vista da mesma pessoa (que era exactamente isso que a autora não queria, senão não tinha inventado este livro de relatos!).

Não nego que o problema esteja na tradução portuguesa, mas sinceramente duvido. Não gostei. A história não anda nem desanda, muita palha, nenhuma evolução.

Daria 1 em 5 porque o início está cativante.


2. Saga Mistborn: O Império Final por Brandon Sanderson

Sinopse

Primeiro volume de uma nova série de um dos autores que mais sucesso teve nos últimos anos na fantasia. 
Num mundo onde as cinzas caem do céu e as brumas dominam a noite, o povo dos Skaa vive escravizado e na absoluta miséria. Durante mais de mil anos, o Senhor Soberano governou com um poder divino inquestionável e pela força do terror. Mas quando a esperança parecia perdida, um sobrevivente de nome Kelsier escapa do mais terrível cativeiro graças à estranha magia dos metais – a Alomancia – que o transforma num “nascido nas brumas”, alguém capaz de invocar o poder de todos os metais.
Kelsier foi outrora um famoso ladrão e um líder carismático no submundo. A experiência agonizante que atravessou tornou-o obcecado em derrubar o Senhor Soberano com um plano audacioso. Após reunir um grupo de elite, é então que descobre Vin, uma órfã skaa com talento para a magia dos metais e que vive nas ruas. Perante os incríveis poderes latentes de Vin, Kelsier começa a acreditar que talvez consiga cumprir os seus sonhos de transformar para sempre o Império Final…
Posso-vos dizer que já não me sentia assim por um livro de fantasia desde o Harry Potter. Li reviews a dizer que este seria o próximo livro de fantasia a tornar-se "viral" e, gente, concordo! Se bem que duvido que eles consigam fazer filme disto. Espero que não o façam. 
Anyway.... apesar do livro evoluir a passo um pouco lento, o autor apresenta-nos um mundo muito bem pensado, um tipo de magia (dos metais) ainda melhor pensado e, acima de tudo, uma heroína potente! 
Tenho de dizer que nem a Katniss de Hunger Games me cativou tanto como a Vin. Apetece-me viajar para a América e dar um belo aperto de mão ao Brandon. 
Livro bom para quem conseguir imaginar bem lutas pormenorizadas cheias de poderzinhos. Eh eh eh 
Daria 4 de 5, só porque em algumas partes é um pouco parado. 

3. Saga Mistborn: O Poço da Ascensão de Brandon Sanderson
(( Não ponho a sinopse porque tem spoilers do livro anterior e eu quero que vocês leiam isto))
Pronto. Este explica porquê que o outro livro foi um bocado lento. O Império Final é mesmo uma introdução e prepara-nos para o que vem.
Ainda estou meio histérica por o ter acabado mas...uau! Parabéns ao autor pelo ritmo que deu à história. Não achei que tivesse momentos lentos nem palha nem nada. Está sempre a acontecer qualquer coisa importante na história, os plot twists são...wow, a acção está potente, os personagens evoluem, os pormenorzinhos estão lá para nos fazer querer ler a história de novo para podermos reparar neles....epá! 
Lamento, adorei. A Vin passou a ser uma das minha personagem preferida de todos os livros ever. O único senão disto...é que a Saída de Emergência ainda não publicou o terceiro livro e uma pessoa está a sofrer e a pensar que se calhar compra em inglês. 
Dou 5 em 5! Perfeito para amantes de fantasia com acção. 

6 comments:

  1. Fiquei curiosa com os dois últimos livros - sendo eu uma pessoa que escreve maioritáriamente fantasia confesso que leio muito pouco este género, últimamente - mas não os quero ler traduzidos. Chamem-me snob á vontade. Posto isto, com a falta de dinheiro com que ando, será impossivel pôr-lhes as mãos em cima para já. Espero mesmo que sejam muito bons, pq a última vez q me pus a ler fantasia foi a Guerra dos Tronos e O-DI-EI! Pode ser pela tradução, vá, confesso, mas tenho dúvidas...
    http://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Estou muito curiosa em saber o que odiaste no Game of Thrones? A história em si? Ou a maneira como ele escreve? Eu gosto muito dos livros, mas não gosto como ele tem de descrever tão pormenorizadamente cenas de violência gratuita (que não acrescentam absolutamente nada ao plot) tipo as violações e isso.
      Em termos de história, Mistborn é muito mais light. Mas também tem intriga politica. Para ler sinceramente prefiro o Mistborn, agora que penso...

      Delete
    2. Olha o que eu abominei no GoT foi mesmo o quão fracos os personagens são fora o Tyrion. Sério, achei-os todos tão mal construídos, sem evolução - a não ser o Tyrion, e em alguns momentos a sonsa da Sansa - demasiado óbvios, raramente me surpreendendo com eles. As cenas de violência não me demoveram, mas algumas achei que eram escusadas e desnecessárias - mas como eu tenho muita dificuldade tb em escrever cenas de violência, acabo por admirar quem as escreve bem. se as deste gajo te deixaram mal, NÃO LEIAS O BIG DRIVER. (só que lê, pá, lê!!) - e o facto de ele estar constantemente a matar personagens que á primeira vista se vão tornar interessantes, faz com que no meu caso eu não me ligasse minimamente á narrativa e aos personagens (ainda por cima tão mal amanhados que eles são) e parecia que estava era a ler um livro de História e não um livro ficcional, sabes. Achei secante na sua maioria, fora a cena da humilhação da Cersei de percorrer as ruas nua, foi o único momento em que senti que a personagem estava bem construida por ter dado por mim a ter pena da gaja. Mas foi um momento fugaz, e que não se repetiu. Porque na minha opinião ele tem demasiados personagens e demasiados pontos de vista a ocorrerem e o leitor acaba por se perder no meio de tanta gente desimportante (parafraseando Cazuza) e nunca se ligar a nenhum personagem - fora o Tyrion, e isso no meu caso deve-se garantidamente á minha paixão pelo Peter Dinklage. Também comecei a ver a série antes de ler os livros, e desisti desta mal me mataram o Sean Bean... lol.

      Delete
  2. queria muito este ano ler três livros (sei que é pouquíssimo mas desde que perdi a vontade de ler estabeleci um alvo mais pequenote) e gostei mesmo das tuas sugestões :)

    ReplyDelete
  3. epá, este post faz-me lembrar que tenho de pôr a leitura em dia... oxe! comecei a ler um muito interessante sobre Stoneybatter - descobri que moro num lugar com 1700 anos de história, primeiro viking settlement foi aqui \m/

    ReplyDelete
    Replies
    1. eregido por um dos filhos do Ragnar Lothbrok. Se não me engano o Sigurth Snake Eye que a dado momento foi rei da Irlanda, tal como seu irmão mais novo Ivar foi rei da Escócia. É por isto que eu sou louca por ambos reinos, já que eu sou uma Ragnarsdottir for sure muahahahahahah

      Delete

Translate

ShareThis